sábado, 4 de dezembro de 2010

Navegar, Navegar

Ivan Goffi

Fiz de minha vida um navio
E de meus sonhos, profundo mar
Lancei meu navio na água
E deixei o vento o levar
A brisa que sopra mansa
Acalenta as ondas do mar
E por mais que ele balance
Seu controle há de voltar
Voltar para as mãos seguras
Que norteiam meu navegar
A seguir o caminho às escuras
Sob a auréola de doce lar
E a luz que o iluminar
Com o brilho do amanhecer
Certamente vai me mostrar
As espumas do meu viver
Mas se um dia um recife aflorar
À frente desse navio
Não sei se vou suportar
Traçar mais esse desvio
Cansei-me de navegar
Cansei-me de tanto sofrer
Se é pra viver nessa mágoa
Prefiro, em vez de aportar,
Abrir com minhas mãos a água
Pra ver meu navio naufragar.

Voz - Rejane Cordeiro:
video

Um comentário:

  1. lindo poema linda interpretação Rejane!
    beijooo pra ti linda amiga!
    Elisa

    ResponderExcluir